Guilherme Augusto Vieira

 

Você sabia que as galinhas caipiras tem vermes e precisam ser vermifugadas?

As verminoses ou endoparasitoses são patologias causadas por vermes em todos os animais domésticos, sendo evidenciadas com grande visualização de sinais e sintomas nos animais de produção como os bovinos, nos equinos, ovinos, caprinos e principalmente nos cães (filhotes).

Quanto as aves, Fortes (1993,2004) ratifica que as aves domésticas são igualmente sujeitas a numerosas infestações de endoparasitoses.

Entretanto , segundo a Ourofino em Campo (2018), o controle de vermes em criações industriais (granjas industriais) de frangos de corte são negligenciados e alguns criadores entendem que o período de produção curto ( 35 a 40 dias) não é necessário a utilização de vermífugos. Já a produção de poedeiras, por possuir um período produtivo mais longo nota-se uma infestação maior e o controle é realizado de forma sistemática (Vasconcelos, 2000).

E o controle de verminoses em galinhas caipiras?

Aí é que está o grande problema. Pelo fato destes animais serem rústicos, criados soltos e a falta de informações, os criadores “acham” que as galinhas não precisam ser vermifugadas. Contudo, é comum as galinhas caipiras criadas soltas ( ou semi-intensivo) e as aves selvagens apresentarem infestação por vermes , muitas vezes não diagnosticadas e os animais morrem sem um diagnóstico adequado.

Atualmente ocorreu uma mudança na produção da galinha caipira, tornando-a tecnificada, com produção em galpões e aumentando a densidade (aglomeração) de aves nestes ambientes.

Neste novo modelo produtivo, há introdução de cama (maravalha, casca de arroz, café, etc ), alguns galpões possuem piso de chão batido, na grande maioria das criações as galinhas permanecem um período no galpão e outro período são soltas, com isso se alimentam de insetos, há um aumento de besouros e moscas nos galpões, todos estes fatores  favorecem a incidência de vermes chatos e redondos em criações de galinhas  caipiras.

A infestação das galinhas caipiras (granjas também) ocorrem por ciclo direto via transmissão horizontal (aves para aves), através da ingestão de larvas, ou pelo ciclo indireto requerendo um hospedeiro intermediário como insetos e moluscos (Vasconcelos, 2000; Back,2004)

 

A transmissão de maneira geral ocorre mediante a ingestão de ovos de parasitas, através de água e alimentos contaminados (BENEZ, 2004).

 

Outros fatores que favorecem a infestação dos animais são : higiene inadequada dos galpões, alta densidade de aves, erros de manejo sanitário e principalmente a vermifugação preventiva.

 

Existe uma variedade muito grande de helmintos que parasitam as aves. São dois grupos os de maior importância, os cestoides e os nematoides.

 

A tabela mostra os principais vermes que acometem as galinhas (caipiras e de granja).

 

Gênero Localização Sinais Clínicos
Nematódeos
Ascaridia spp Intestino Delgado Perda de apetite, diarreia, perda de peso,
Trichostrongylus tenuis Intestino Delgado
Syngamus trachealis Traqueia Problemas respiratórios, perda de peso, enfraquecimento
S. strongylina Intestino delgado Perda de peso, diarreia
Cestódeos
R.laticanalis Intestino Delgado Diarreia, perda de peso, enfraquecimento
TREMATÓDEOS
Echinostossoma revolotum Intestino delgado e ceco Enfraquecimento, emagrecimento, diarreias

 

 

Como verificar se os animais estão infestados?

O primeiro passo para o criador é verificar o estado de saúde dos animais. Segundo verificar a presença de parasitos nas fezes e na cama onde animais se encontram. Geralmente os áscaris (lombrigas) estão presentes nas fezes e no ambiente. Se possível consultar o Médico Veterinário para orientações.

Como tratar a verminose nas galinhas caipiras?

Existem dois tipos de tratamentos das verminoses:

Tratamento curativo (para os animais infestados e doentes) e o preventivo através de vermifugação preventiva, a adoção de medidas higiênico sanitárias e manejo eficiente.

Entre as medidas preventivas a serem adotadas destaca-se:

  • Limpeza dos galpões após a saída das galinhas para o “passeio” diário;
  • Realizar o vazio sanitário após a saída do lote;
  • Limpeza do terreiro e pasto onde as galinhas realizam o passeio diário;
  • Limpeza dos ninhos onde as galinhas realizam a postura;
  • Revolver a cama sistematicamente;
  • Retirada dos animais doentes

Como vermífugar as aves?

Geralmente os vermífugos utilizados em avicultura apresentam-se em Pós que devem ser “misturados” à ração ou na água, dependendo do produto e o fabricante.

Caso utilize um vermífugo que misture na água, deve-se deixar os animais em jejum hídrico (suspender a água) e ração por um período de 2 (duas) horas e logo após fornecer a água aos animais respeitando a dosagem preconizada na bula ou conforme orientação do Médico Veterinário.

O mesmo procedimento deve ser adotado para um vermífugo a ser misturado à ração. Em ambos os casos verificar a duração da “aplicação” do vermífugo e quando irá repetir a vermifugação.

Em caso de galinhas poedeiras, durante o período de vermifugação deve-se descartar os ovos produzidos obedecendo o período de carência.

A tabela a seguir mostra alguns vermífugos utilizados em avicultura.

Vermífugo Nome comercial Empresa
FEBENDAZOL Provermin – Pó (ração)

 

Indubrás
MEBENDAZOL Mebendazol – Aves e Suinos –Pó (ração) Vetnil

 

Piperazina Proverme – Pó (água) Fabiani

 

E os prejuízos causados pelas verminoses nas galinhas caipiras?

As endoparasitoses (verminoses) causam sérios prejuízos sanitários e econômicos aos criadores.

Os prejuízos sanitários além da perda de peso, falta de apetite, diarreias e problemas respiratórios, desenvolvimento tardio e predisposição a outras doenças , pois o organismo fica vulnerável tornando-se portas de entrada para bactérias, vírus e fungos levando os animais a morte.

Os prejuízos econômicos destacam-se ao emagrecimento dos animais, diminuindo o peso e consequentemente aumenta o tempo de abate dos animais gerando mais custos e despesas. Quanto a postura há diminuição ou perdas nas produções de ovos além dos problemas mencionados. Em ambos os casos os criadores tem muito gastos com medicamentos, tratamentos auxiliares, despesas com veterinários além da falta de renda dos produtos que a granja comercializa e a reposição de pintos.

Ao terminar este artigo observou-se a necessidade de vermifugar as galinhas caipiras pois os prejuízos provocados pelas verminoses são muito grandes além de um aumento de custo da produção.

Caso o Leitor deseje conhecer mais sobre a produção ou até mesmo melhorar a sua produção de galinhas caipiras temos a Farmácia na Fazenda – veteAgroGestão tem um curso a distância “Crie Galinha Caipira”, no qual vem acompanhado de material didático ( apostila) onde está disponibilizado o passo a passo da nova produção da Galinha Caipira Moderna. Acompanha ainda planilhas de investimentos na produção, plantas baixas de galpões para 100 e 300 aves e toda a orientação quanto ao manejo sanitário, nutricional e equipamentos que possam ser utilizados na nova produção de galinha caipira. .

 

ou o CD Crie Galinha Caipira

 

Referências bibliográficas:

BACK, A. Manual de Doenças de Aves. 1ª edição. Cascavel: BACK. 2002. p. 190 a 191.

 

BENEZ, S.M. Aves: Criação, Clínica, Teoria e Prática. 4º edição, Ribeirão Preto: Tecmedd, 2004. p 385-392.

 

Endoparasitoses em aves. Disponível in: https://www.ourofinosaudeanimal.com/ourofinoemcampo/categoria/artigos/endoparasitose-em-aves/ acesso em02/06/2018

FORTES.E, Parasitologia Veterinária,2ª ed.Porto Alegre: Sulina ,1993,2004

KUPSCH, W. Doenças dos pintos, frangos e galinhas.5ªed. São Paulo:Nobel, 1986

 

PALERMO NETO.J.SPINOSA, H.S.; GÓRNIAK, S.L. Farmacologia aplicada à avicultura. São Paulo: Roca,2005;

 

VASCONCELOS, O.I. Parasitose em Aves de Produção Industrial. In: JUNIOR, A.B., MACARI, M. Doença das aves. 1º edição. Campinas: FACTA. 2000, cap 7.4. p 423-428.