Como fazer o controle químico das Moscas dos Estábulos

0

Guilherme Augusto Vieira[1]

 Combater as moscas dos estábulos nas fazendas é um dos maiores desafios enfrentados pelos técnicos, fazendeiros e granjeiros. Não é fácil, pois trata-se de uma mosca diferenciada, grande, irritante e que causa grande estresse nos animais com suas picadas doloridas, provocando grandes perdas econômicas e sanitárias.

Porque é difícil fazer o controle químico das Moscas dos Estábulos?

Um dos principais é a sua biologia e ciclo evolutivo. As Moscas dos Estábulos fazem o seu ciclo biológico dos dejetos orgânicos ( fezes, urina, restos de culturas , matéria orgânica em decomposição), onde na sua faze larvar são coprófagas e multífagas e quando adultas são insetos hematófagos se alimentando de sangue dos animais.

No desespero de ver seus animais serem atacados pelos insetos, os produtores e trabalhadores realizam as pulverizações com a calda inseticida nos animais e de forma inadequada no ambiente.

IMG-20171224-WA0073

O problema é que ao observar a ação das Moscas dos Estábulos nos animais, o seu contato é muito rápido. Durante a picada, ela “suga” o sangue dos animais, não permanece mais que 3 (três) minutos, dissipando-se depois para as áreas da fazenda, retornando depois para novo repasto no corpo dos animais.

Daí a observa-se a ineficiência do controle das infestações nos animais, devido ao pouco contato dos insetos com os animais no momento que ela “aspira” o sangue, tornando a ação dos inseticidas ineficaz.

Como fazer o controle químico correto das Moscas dos Estábulos? Aqui vão algumas dicas.

Observar as áreas focos de desenvolvimento das larvas das Moscas e onde elas “pousam” após a picada nos animais, geralmente nas cercas, protegidas do sol, beirais de currais, moirões de cerca, muros e paredes que não estejam distantes dos animais que lhes fornecem alimento.

Nestes locais é que os técnicos, fazendeiros e granjeiros devem fazer o controle químico das Moscas dos Estábulos com a utilização de Inseticidas de uso profissionais, próprios para pulverizações ambientais e que não devem ser utilizados em animais, pois tem uma maior concentração dos princípios ativos.

A utilização correta destes inseticidas vai proporcionar um controle adequado dos insetos, geralmente tem uma combinação de princípios ativos de efeito “knock down”, ação rápida e ação conjunta com efeito residual.

Outra forma correta de controle químico das Moscas dos Estábulos é a pulverização nos locais de desenvolvimento larvar, porém há necessidade de revolver os “montículos”, expor as larvas e fazer as pulverizações, se possível periódica.

Agora atenção, só uso dos inseticidas não vai resolver o controle das Moscas de Estábulos. Há necessidade da implantação de uma série de medidas, como o Manejo Integrado de Pragas, com ações de destino correto dos dejetos nos haras, fazendas , confinamentos, granjas de suínos, além de medidas de higiene ambiental, proporcionando um ambiente limpo que iniba o desenvolvimento destes insetos.

Se Você deseja maiores informações para combater as Moscas dos Estábulos, visite nossa página e conheça nossas soluções para o Controle das Moscas dos Estábulos: http://farmacianafazenda.com.br/moscas/ ou então moscas@farmacianafazenda.com.br

 

 

[1] Médico Veterinário graduado pela UFG, Doutor em História das Ciências. Autor do Livro Como montar uma farmácia na fazenda e do Manual Controle das Moscas dos Estábulos, www.farmacianafazenda.com.br contato: guilherme@farmacacianafazenda.com.br

Comentários

comentários

Compartilhe